Make your own free website on Tripod.com
Pesca&Dicas

TURBINADO CARRETILHAS E MOLINETES
 


   

 

Comprar equipamentos corretos e adaptá-los ao uso individual é o segredo de uma boa pescaria.Por uma estratégia de marketing, os mais conhecidos fabricantes de equipamentos para pesca lançam seus modelos de carretilhas e molinetes com inúmeros rolamentos e sofisticações técnicas e graças a isso seu preço fica elevado. Também são feitos equipamentos com menos recursos e preços reduzidos.

O desgaste no eixo é proveniente do atrito com as
buchas de metal. Já os dentes destruídos pela coroa
são frutos de folgas causadas pelas buchas
de náilon



Essa diminuição de custo, entretanto, reflete-se em menor vida útil do equipamento. Desprovidos de rolamentos e de certas ligas mais refinadas, trocando até mesmo o bronze pelo zamac, essas carretilhas e molinetes têm a característica de produtos de maior consumo.

 

A bucha e os rolamentos fazem
a diferença entre os
produtos top de linha e
as versões standard.


As buchas, ao contrário dos rolamentos, oferecem uma área de contato fixa. Como o eixo trabalha apoiado nessa área, o atrito é excessivo, causando nas peças desgaste acima da média.
O problema se agrava quando as buchas são de náilon (grafith bering)  que desgastam menos o eixo, mas tem uma certa flexibilidade e giram as engrenagens internas a cada momento em posição diferente, fazendo os dentes das peças serem consumidos em várias posições.
É comum vermos nas lojas, pescadores adquirindo equipamentos de marcas conhecidas na versão Standard, Isso ocorre basicamente por dois motivos: pela falta de conhecimento do material ou por economia.
Pior ainda, é adquirir equipamentos em camelôs, que aparentemente oferecem a vantagem de custos muitos reduzidos se comparados às lojas. Isso é um verdadeiro engodo, pois sua procedência e garantia são duvidosas e inexistentes. Além da falta da nota fiscal, essencial para avaliar a garantia da fábrica.
O nosso atual Código de Defesa do Consumidor obriga que todo produto importado ou nacional tenha seus manuais impressos em português, além de exigir clareza em suas descrições. Porém, o que se tem visto no mercado é justamente o oposto: manuais na língua de origem do produto. É evidente que isso contraria a lei.
Há casos bizarros. Um fabricante nacional de iscas chega ao absurdo de imprimir seus textos de descrição de produtos em inglês a fim de valorizar seu produto e engana os consumidores.
Quando à procedência do produto, cabe uma explicação. Hoje o processo de terceirização na indústria é uma tendência mundial, devido ao veloz crescimento da competitividade, no  aspecto de redução de custos.
Podemos dizer que os fabricantes de equipamentos de pesca de todo o mundo estão se tornando, na verdade, escritórios de administração de uma determinada marca. Só desenvolvem novos designs, enviando-os a terceiros para industrialização.
Nesse momento acontece a chamada pirataria. Como em toda produção, existem peças reprovadas pelo controle de qualidade e que deveriam ser destruídas. Porém, o oposto tem ocorrido.
Tais peças acabam indo parar nas mãos de fabriquetas que as utilizam em modelos copiados de determinadas marcas, chegando ao mercado muito semelhantes às originais. Portanto, todo o cuidado é necessário no momento da compra.
Quando se tem a nota fiscal de compra, pode-se utilizar a garantia dos legítimos produtos.
Os modelos mais simples acabam tendo somente em terço de vida útil que poderiam ter. Esse desgaste excessivo é fruto das buchas que substituem os rolamentos. Com os eixos trabalhando apoiados nessas buchas, o desgaste e as folgas tornam-se inevitáveis e progressivos, danificando quase todas as engrenagens.
Para sanar esse problema, trocam-se as buchas por rolamentos, aumentando seu tempo de vida e também a qualidade final dos arremessos. Por exemplo, em uma carretilha Abu Garcia 550 plus “pé de boi”com um rolamento e duas buchas, bastam trocar as buchas por  rolamentos e transformar a simples máquina dos “horrores” em  uma top de linha.
A não substituição dessas buchas acarreta defeitos nas engrenagens, peças cujo custo é superior ao da troca dos rolamentos.
Porém nos molinetes a falta de rolamentos é mais sentida, pois como têm mais peças móveis estão sujeitos a um desgaste mais precoce se comparado às carretilhas. Para sanar o problema, a substituição das buchas por rolamentos é suficiente, oferecendo também um gasto final inferior aos melhores modelos de linha.
No geral, 70%  das máquinas de qualquer marca possibilitam tais melhorias. Exemplo disso é o molinete Super-Paoli, fabricado somente na versão standard.
Como uma simples modificação pode-se instalar três rolamentos e, com alterações mais profundas, até seis rolamentos. O custo, entretanto atinge o dobro do molinete novo.

Com um mínimo de trabalho,
pode-se acrescentar três
rolamentos no molinete
Super-Paoli

 


Outro exemplo de modificação é a Shimano Calcutta que além dos três rolamentos, pode ter ainda mais um acrescentado no eixo, em substituição da bucha existente.
A instalação dos rolamentos resulta numa melhora da ordem de 20% no arremesso, além de um recolher mais macio quando na luta com o peixe.

 

Na carretilha Shimano Calcutta
é possível instalar mais um
rolamento em substituição
da bucha do eixo

 


Um artifício muito utilizado em qualquer equipamento é a redução de peso, o que pode ser sentido no final de um dia de pesca. Em uma carretilha de fly da marca Scientific Anglers 3M para linha n. 9, de excelente qualidade e recurso de fricção, porém sem backing e linha tem um peso desconfortável de 310 g  que pode ser reduzido para 240 g através de furos estratégicos. Ou seja, uma redução em torno de 23% do peso original, sem alterar a resistência da carretilha.
 

Com a furação na
carretilha de fly
foi possível
reduzir seu peso
em 23%, sem
comprometer a
estrutura.


Um problema em algumas marcas, principalmente nos modelos antigos, é a falta de peças de reposição. Nesse caso, algumas oficinas especializadas fabricam as peças sob medidas a um preço razoável.
Todo equipamento seja ele top de linha ou Standard, requer cuidados simples após seu uso, principalmente se utilizado em água salgada. O sal tem como uma de suas propriedades a oxidação e em conseqüência a corrosão.
Para evitarmos o problema, uma boa lavada com água doce morna e posterior desmontagem e lubrificação anula qualquer ação do sal. Deve-se ter um cuidado especial na limpeza dos rolamentos.
Como a maioria tem blindagem, deve-se lavá-los várias vezes com solvente, a fim de retirar todas as impurezas, e neles só aplicar óleo fino e mineral. Já nas engrenagens, devemos aplicar graxa de origem mineral e se possível à base de grafite.
Algumas lojas oferecem serviços de assistência técnica, inclusive através de despacho por Sedex.

Para maiores informações:

Miraguaia
Rua do Carmo, 132 – Liberdade
São Paulo/SP
Fones: (11) 3107.5917 / 3242.4352 / 3104.7782 / 3107.8136

Caça e Pesca Pinheiros
Rua Martim Carrasco, 68 – Pinheiros
São Paulo/SP
Fones: (11) 3816.8099 / 3814.1757 / 3819.4471

Redpesca
Rua Brigadeiro Tobias, 648 – Luz
São Paulo/SP
Fone: (11) 229.4611

voltar

   
| PESQUEIROS | NÓS PARA PESCA | RIO GUARAÚ | ARTIGOS | BUSCA FONES | TEMPO |
| HOME | RECEITAS | FOTOS | SPLIT SHOT | MASSAS | BUSCA CEP | E-MAIL | GIRADOR | EMPATE DE AÇO |
© Copyright - 2002-2003 - Pesca & Dicas - All rights reserved